Dia Nacional do Café: Treinamentos do Senar-ES acompanham o produtor do plantio à comercialização
Data de publicação: 24/05/2024

Nesta sexta (24) é dia de celebrar a bebida que acorda o povo, que reúne os amigos e que está presente em inúmeras culturas e tradições: o café! Conhecido pela qualidade de seus cafés, o Espírito Santo tem conquistado, cada vez mais, mercado no Brasil e no exterior.


Quando falamos de dados, provamos que o brasileiro e o capixaba, são grandes produtores da matéria prima. Isso porque o Brasil ocupa o primeiro lugar mundial de produtor de café, sendo responsável por 40% do café consumido no mundo, de acordo com o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). 


O Espírito Santo também responde por grandes marcos na cafeicultura. O estado é o segundo maior produtor do Brasil, ficando atrás apenas de Minas Gerais. No quesito conilon, o estado capixaba leva a medalha de ouro, com a maior produção do país. Já com o arábica, o estado fica em terceiro, atrás de Minas e São Paulo, segundo o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).


Mas não é à toa que a segunda bebida mais consumida em todo o planeta (perdendo apenas para a água) está sendo cada vez mais aprimorada. Agricultores têm buscado potencializar seus negócios por meio de treinamentos relacionados à arte da cafeicultura. O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Espírito Santo (Senar-ES) disponibiliza cursos que qualificam os produtores rurais na produção de café, tanto arábica, quanto conilon.


O superintendente adjunto do Senar-ES, Fabrício Gobbo, ressalta a presença do Sistema em cada passo da cafeicultura capixaba. “O Sistema Faes / Senar-ES atua em todos os setores da economia focado no produtor rural. Nós vamos desde a defesa da propriedade até as capacitações e a Assistência Técnica e Gerencial, que hoje tem feito a diferença na vida do produtor”, aponta.


A frente dos treinamentos de Cultivo de Café Conilon, Cultivo de Café Arábica, Poda e Desbrota de Café Conilon e Poda e Desbrota de Café Arábica, o instrutor João Marcos Gava é um apaixonado pela cafeicultura e se alegra em passar seus conhecimentos para os alunos.


“Eu acho que todos os treinamentos do Senar-ES são muito válidos. Eu busco qualificar eles naquilo que eu aplico. São tantas tecnologias hoje, algumas essenciais, outras mais duvidosas, então a gente passa um norte para eles. De fato é qualificar, preparar eles, porque é muita informação. Deixar eles preparados para essas tecnologias que sempre estão vindo. Novos clones, novas variedades de café, então a gente vai passando para eles a variedade ideal aqui ou ali, para essa área, para aquela altitude”, explica o instrutor que também é cafeicultor.


Leandro Silveira é o responsável pelos treinamentos de Classificação de Café, Degustação de café e Trabalhador na Torra de café. De acordo com o instrutor, esses treinamentos visam a melhoria da qualidade do café produzido, a partir do conhecimento sobre os defeitos físicos e de sabor.


“Os treinamentos são bastante práticos, utilizando os protocolos e normas do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) como referência. Neles os participantes aprendem a identificar e quantificar os defeitos de classificação física presentes em um café, a diferenciar as bebidas de acordo com a Classificação Oficial Brasileira (COB), e o trabalho dentro da indústria do café, desenvolvendo e analisando torras e blends”, afirma o instrutor e engenheiro agrônomo.


O Senar-ES segue lado a lado aos cafeicultores na caminhada de aprimorar a cafeicultura do estado, desde o plantio até a comercialização, com treinamentos que aperfeiçoam o resultado do café capixaba. 


Conheça os treinamentos da área do café disponibilizados pelo Sistema Faes / Senar-ES / Sindicatos Rurais:



  • Cultivo do Café Conilon / Cultivo do Café Arábica


Com o objetivo de capacitar produtores rurais na implantação, manejo da calagem, adubação e irrigação do cafezal, os treinamentos visam aumentar a produtividade e qualidade dos cafés no estado. Os conteúdos lecionados nos cursos vão desde as escolhas de muda de qualidade até a melhoria da qualidade. Os dois treinamentos são feitos separadamente, com foco especial em cada tipo de café. Entretanto, ensinamentos sobre o plantio, o manejo e a nutrição das plantas fazem parte de ambos os cursos. 



  • Identificação de Pragas e Doenças do Café


Neste curso, os participantes aprendem a identificar as principais pragas do cafeeiro.  Baseado no manejo adequado, é ensinado como reconhecer os sintomas das doenças que atingem a plantação. O conteúdo do treinamento é bastante amplo. A parte teórica conta com explicações sobre os meios de sobrevivência, disseminação e condições favoráveis às pragas, enquanto a prática passa por campos comerciais, identificando casos.



  • Poda e Desbrota do Café Conilon / Poda e Desbrota do Café Arábica


Assim como os de Cultivo de Café, os dois treinamentos de Poda e Desbrota de Café possuem públicos-alvos diferentes: produtores de conilon e produtores de arábica. Mas com o mesmo objetivo de capacitar os cafeicultores na realização das atividades no cafezal. O curso conta com ensinamentos sobre o uso de ferramentas adequadas, bem como as normas de segurança para o aumento da produção cafeeira.



  • Operação e manutenção de roçadora, derriçadora e podadora de Café


Os inscritos neste treinamento aprendem a operar roçadoras, derriçadoras e podadoras de acordo com as normas de segurança e legislação vigentes. Também é ensinado a fazer a manutenção dessas máquinas, o que acaba sendo um caminho para a economia, contando com o fato de que não haverá necessidade de gastar dinheiro com a revisão das mesmas.



  • Trabalhador na Operação e Manutenção de Colhedoras de Café


O treinamento apresenta os componentes da máquina, ensina sobre o acoplamento das colhedoras de café aos tratores e abrange ainda todas as normas que devem ser seguidas para a segurança dos envolvidos. Os alunos ainda participam de aulas práticas de operação da máquina. Manutenção e seus benefícios também estão na grade do curso.



  • Secagem com Fogo Indireto e Beneficiamento de Cafés


A secagem dos cafés é um processo importante na cafeicultura. Portanto é necessário que os produtores e produtoras da área saibam como operar a máquina. O conteúdo lecionado vai desde os componentes do equipamento de secagem até a manutenção preventiva e corretiva. A proteção contra princípio de incêndio também está entre os tópicos do curso.



  • Degustação de café


O treinamento de Degustação de Café ensina os alunos a como classificar os mais diferentes tipos de café, de acordo com a escala do protocolo SCA (Associação de Cafés Especiais, do inglês Specialty Coffee Association). Informações sobre as características que influenciam no paladar e no olfato, além do tempo e cor da torra mostram a importância da degustação.



  • Classificação de Café


Seguindo a Classificação Oficial Brasileira (COB), o treinamento mostra aos produtores como recursos que vão desde a fisiologia da flor, passando pelos tipos de peneira, contagem de defeitos, impurezas, resíduos agrotóxicos, umidade, até o armazenamento, entre outros estímulos, afetam diretamente na classificação sensorial dos cafés. 



  • Culinária com Café


Com o principal ingrediente em mãos, o treinamento de Culinária com Café ensina a produzir alimentos utilizando como base a bebida. A importância da cafeicultura e as noções sobre a qualidade de café são aprendidas na parte teórica do curso. As diferenças entre o café conilon e o café arábica também fazem parte do conteúdo. Ainda no curso, são postas em prática as receitas.


Inscreva-se


Os treinamentos possuem a carga horária entre 16 e 24 horas, dependendo do escolhido. É necessário ter no mínimo 18 anos para participar.


Os interessados devem procurar o Sindicato Rural do próprio município. Basta buscar o contato aqui: www.faes.org.br/sindicatos-rurais. Outras informações também podem ser obtidas pelo telefone (27) 3185-9224.


Fonte: Assessoria de Comunicação Faes / Senar-ES
Por Carolina Vieira

Compartilhe nas Mídias Sociais